Taxa do Pix existe? Descubra como evitar

Se você quer fazer transferências sem cobrança da taxa Pix, siga estes passos:

  • 1) Baixe o RecargaPay
  • 2) Adicione saldo na sua conta
  • 3) Faça envio e recebimento de valores de graça

Neste artigo, vamos detalhar como você pode fazer transferências sem cobrança da Taxa Pix o meio de pagamento mais utilizado pelos brasileiros (segundo o Gov), além de explicar em que situação se aplica a taxa do Pix que é para contas de pessoa jurídica (PJ). Para descobrir mais, basta continuar com a leitura.

Agora, vejamos mais detalhadamente como você pode evitar essa taxa do Pix:

  1. 1) Baixe o RecargaPay

     Primeiramente, você precisa baixar o RecargaPay clicando na imagem abaixo
    Baixar RecargaPay

  2. 2) Cadastre uma chave Pix

    Para adicionar saldo, primeiramente cadastre uma chave Pix.
    Cadastre uma chave Pix

  3. 3) Clique em adicionar saldo

    Uma vez que você tenha o aplicativo, procure pela opção de adicionar saldo via Pix.
    adicione saldo

  4. 5) Fique livre da taxa do Pix

    Com saldo na sua carteira do RecargaPay, você está livre para enviar seus valores sem cobrança de taxas para qualquer destinatário, seja pessoa física (PF) ou jurídica (PJ).
    aproveite o Pix

A taxa do Pix existe?

A taxa do Pix existe?

É importante entender que a taxa do Pix existe e é autorizada pelo Banco Central. Essa taxa é utilizada para cobrir os custos de funcionamento da ferramenta, pois, por trás dela, existem custos envolvidos. Esse é um aspecto fundamental que você deve saber antes de cadastrar sua Chave Pix.

O Banco Central permite que as instituições financeiras e bancos que utilizam o Pix cobrem taxas de contas de pessoas jurídicas (PJ) em suas transferências. Contudo, é essencial deixar claro que contas de pessoas físicas (PF) não estão sujeitas a essas taxas.

Essas taxas se aplicam a todos os tipos de Pix, especialmente no Pix Noturno, independente do limite do Pix. Mesmo assim, isso não afeta os mais de 138 milhões de usuários do sistema, uma vez que essas taxas são cobradas apenas de contas PJ em alguns bancos e instituições, com taxas que variam entre 0,99% e 1,49%, sendo 0 no RecargaPay.

Vale ressaltar também que a taxa é usada para custear aspectos relacionados à segurança do Pix. Assim, ao utilizar o Pix, você está contribuindo para a manutenção e melhoria constante do sistema.

Valor da taxa do Pix para pessoas jurídicas

Valor da taxa do Pix para pessoas jurídicas

De acordo com as novas regras do Pix, cada banco ou instituição financeira tem suas próprias taxas do Pix para transferências realizadas por contas jurídicas. Essa prática é permitida e varia de acordo com cada instituição. Aqui estão alguns exemplos:

  • Banco do Brasil: Cobra 0,99% do valor da transação, com tarifa mínima de R$1 e máxima de R$10.
  • Bradesco: Cobra 1,40% do valor por transação, sendo que o valor mínimo é de R$ 0,90 e o valor máximo é de R$ 9,00.
  • Itaú: Cobra 1,45% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60.
  • Santander: Cobra 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10.
  • Transfeera: Cobra entre R$ 0,85 e R$ 0,30, a depender da quantidade de pagamentos.

Por outro lado, o RecargaPay se destaca ao oferecer taxa zero para contas PJ no Pix. Mas as vantagens não param por aí. Oferecemos também a modalidade de Pix com cartão de crédito. Se você quer saber como fazer Pix com cartão, no RecargaPay você pode realizar essa operação com taxas de 3,49% para os usuários Prime+ e 3,99% para os demais usuários.

Taxa do Pix para pessoas físicas

Taxa do Pix para pessoas físicas

Para as contas de pessoas físicas, é importante ressaltar que não existe nenhum tipo de cobrança de taxa para utilizar o Pix. Segundo dados do Poder 360, o Pix já realizou mais de 3 bilhões de transações, reforçando seu papel fundamental no sistema financeiro brasileiro. E apesar desse volume incrível, o Banco Central não permite a cobrança de taxa no Pix para contas de pessoas físicas.

Porém, quando falamos de Pix com cartão de crédito, a situação muda um pouco. Essa não é uma opção oficial do Banco Central, e, como é uma modalidade que faz uso do crédito do cliente, podem existir taxas. Essas taxas variam entre os diferentes bancos e instituições que oferecem essa opção.

No RecargaPay, por exemplo, você encontra atualmente as menores taxas para Pix com cartão de crédito parcelado. Assinantes do Prime+ pagam 3,49% e os demais usuários, 3,99%. Esta é uma das melhores entre as 5 opções de carteiras digitais que oferecem o Pix com cartão de crédito.

Como disse Gabriel Galípolo, diretor geral do Banco Central

 “Não há taxas do Pix para pessoas físicas”. Essa afirmação reflete o compromisso do Banco Central em manter o Pix como uma ferramenta acessível e isenta de custos para as pessoas físicas.”

O que é o Pix?

O que é o Pix?

O Pix é uma ferramenta de pagamento revolucionária e gratuita para pessoas físicas, cujo lançamento aconteceu em 2020 pelo Banco Central. Em um curto espaço de tempo, o Pix alcançou um sucesso impressionante, com um número substancial de usuários atuais. 

Um fato notável é que o número de chaves Pix cadastradas é mais que o dobro do total de usuários, ilustrando a extensa adoção desta ferramenta. Essa ferramenta de pagamento não apenas facilita a vida financeira de seus usuários, mas também é extremamente segura

A criação do Pix pelo Banco Central foi um marco na digitalização do sistema financeiro, tornando as transações mais rápidas e eficientes. Devido à sua facilidade e conveniência, se consolidou como o meio de pagamento mais utilizado pelos brasileiros atualmente.

O Pix é seguro?

O Pix é seguro?

O Pix é uma ferramenta segura e protegida por sistemas de criptografia, o que ajuda a garantir a segurança das transações feitas pelos usuários. Além disso, o Pix possui um sistema chamado MED – Mecanismo Especial de Devolução, estabelecido pelo Banco Central, que proporciona ainda mais segurança para os usuários em casos quadrilhas especializadas em golpes.

Entretanto, é importante mencionar que, apesar de todo esse sistema de segurança, existem os golpes do Pix. Por isso, é necessário ter atenção ao enviar valores ou ao pagar boletos pelo Pix. A atenção e a precaução são as melhores formas de evitar cair nesses golpes, garantindo assim a segurança de suas transações.

Conclusão

Ao longo deste artigo, abordamos as diversas nuances do Pix, desde seu início, estrutura, segurança, até as taxas aplicáveis a diferentes tipos de contas. Fizemos um esforço para fornecer informações detalhadas e atualizadas, para que você, como leitor, tenha uma compreensão abrangente do Pix e possa utilizá-lo de forma informada e segura.

Com base no conteúdo apresentado, recomendamos que você aproveite as vantagens do Pix, especialmente em sua conta pessoal, onde não há cobrança de taxa. Além disso, é sempre útil lembrar que, apesar do Pix ser seguro e confiável, a atenção deve ser redobrada para evitar possíveis golpes. Mantenha-se atualizado e sempre verifique a autenticidade de cada transação.

Por fim, e mais importante, é imprescindível lembrar que a chave para o uso seguro e eficiente do Pix está em suas mãos. Seja ao utilizar o Pix para pagamentos, transferências ou qualquer outra transação financeira, a responsabilidade final sempre recai sobre o usuário. O Pix é uma ferramenta poderosa e conveniente, mas como todas as ferramentas, seu uso correto é o que determinará sua eficácia.

O que é o Pix?

Existem taxas no Pix para pessoas físicas?

E para pessoas jurídicas, há cobrança de taxa no Pix?

O Pix é seguro?

Como evitar golpes no Pix?

19-NIC-MAI49